25
abr
Acredito que nunca foi visto alguém adubando o solo das florestas, como então é possível que elas apresentem grande diversidade de espécies vegetais de diferentes tamanhos e proporções?

Como diria o francês Antoine Lavoisier: “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.
As florestas possuem auto sustentação em grande parte adquirida pela presença da Serrapilheira.
A Serrapilheira é uma cobertura que se forma na superfície do solo composta por restos de vegetação, como folhas, arbustos, caules e cascas de frutos em diferentes estágios de decomposição, fazem parte dela também restos de animais e suas fezes. Esta camada é a principal fonte de nutrientes para ciclagem em ecossistemas florestais, enriquecendo o solo, sustentando a vegetação presente nele.

Fungos e bactérias agem na decomposição dessa matéria orgânica, mas outros seres vivos também contribuem com esse processo como: minhocas, lesmas, formigas dentre outros insetos.

A serrapilheira pode servir de abrigo, camuflagem para muitos animais, como cobras, aranhas, sapos, etc, onde também outros, como as aves podem formar seus ninhos escondidos entre as folhas, como este que encontrei bem escondidinho no chão junto ao tronco de uma árvore, acredito que seja de Jacu, pois neste dia vimos eles sobre as árvores próximas do local do ninho, mas o Jacu foi mais rápido que eu, não consegui fotografar ele.
Os solos das florestas são férteis por esse processo de decomposição das serrapilheiras, se a cobertura vegetal for tirada, o solo empobrece, além disso, juntamente com a vegetação, a serrapilheira permite que a água da chuva penetre lentamente no solo, sem causar erosão, sendo assim absorvida, contribuindo para formação dos lençóis freáticos.
Viu, aquilo que muitos julgam serem apenas folhinhas caídas, contribuem muito para manutenção dos ecossistemas e para preservação da água!
As fotos foram tiradas hoje na Ilha Redonda em São Francisco do Sul/SC, em uma aula de campo que acompanhei do Curso Técnico em Meio Ambiente da Assessoritec a convite da Professora Sandra Pepes que ministra a disciplina de Avaliação de Impacto Ambiental.

Alguns estudos sobre Serrapilheira:
http://www.cemac-ufla.com.br/trabalhospdf/trabalhos%20voluntarios/protoc%2010.pdf
http://rodriguesia.jbrj.gov.br/rodrig57_3/06Serrapilheira.pdf

Conhecer para preservar!

Daniela Lima

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...






gravatar

Eduardo Meireles

abril 26th, 2009 às 0:24

Dani, muito interessante.

na verdade, eu sempre soube que não ‘limpar’ a área era a melhor solução, devido à decomposição dos compostos orgânicos, mas nunca tinha pensado na interação dos outros animais como parte do sistema.

bem interessante.


gravatar

Valdemir Reis

abril 26th, 2009 às 0:42

Olá Daniela estou visitando este espaço maravilhoso! Parabéns pelo excelente trabalho mostrado aqui. Excelente suas publicações, que belo conhecer alguem com tamanha responsabilidade em preservar, encantador, uma grande contribuição. Feliz e honrado por sua amizade. Acredito; aquele que caminha sozinho pode até chegar mais rápido… Porém quem segue acompanhado de um amigo com certeza vai mais longe… Espero sua visita! Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Votos de uma semana recheada de sucesso, muita paz, saúde, brilho, bênçãos, proteção e alegria. Fique com Deus. Um abraço fraterno.
Valdemir Reis


gravatar

Junior

abril 26th, 2009 às 8:00

a natureza eh tao perfeita! nao entendo pq tem pessoas q a querem destruir . . .


gravatar

Mimirabolante

abril 26th, 2009 às 13:33

Já tinha visto uma reportagem sobre este fenomeno,na Amazônia , e achei além de lindo, de suma importância……Na compostagem que estou fazendo no sítio,procuro colocar lá as folhas secas que o caseiro considera “lixo “…..é tão difícil p/ ele entender , como as folhas que caem, fazem parte do processo natural da vida das árvores,das plantas……como só vou nos finais de semana,ainda fica complicado p/ mim administrar td isso….porém,um dia eu chego lá……atualmente ele já deixa acontecer a decomposição das folhas que ele cata….no início,queimava td……aos pouquinhos ele entenderá….Parabéns,pela postagem e pelas fotos….amei……


gravatar

Elo

abril 26th, 2009 às 16:58

Muito interessante seu blog e o post.

Bjo

Elo

http://www.myonreality.blogspot.com/


gravatar

Daniela Lima

abril 26th, 2009 às 19:32

Enviei um email para o Biólogo Alexandre Grose que atua na área de ornitologia e acompanhou também a saída de campo sobre a possibilidade dos ovos encontrados serem da ave Jacu, atenciosamente ele respondeu meu email, aqui estão as considerações dele:

Realmente encontramos varios ovos no caminho, e de primeira impressão seriam de Jacu (Penelope obscura). Até porque Biguás não possuem colônias reprodutivas ativas em nossa região.

A literatura descreve que os Jacus utilizam a copa das arvores e cipós para reprodução, e eventualmente troncos caídos no chão. Acho que uma de suas fotos, é possivel ver exatamente este ultimo exemplo.

Só pra comentar, são espécies introduzidas na aréa, até porque por muitos anos esse bicho foi alvo de caçadores. Existem exemplares ainda na natureza, mas somente em áreas mais preservadas.

Alexandre Grose
Biólogo

Obrigada Alexandre Grose pelos esclarecimentos!


gravatar

Edson Lopes Chaparro

abril 26th, 2009 às 21:15

Daniela

Aqui no Pantanal, em regiões de campões com mata densa, principalmente nas limítrofes aos cursos d’água a incidência da SERRAPILHEIRA é constante. Este composto que cobre o solo confere aquele cheirinho agradável de floresta fechada e ar úmido.

O solo da floresta amazônica é densamente coberto por vegetação em decomposição e há muito tempo aprendi que a retirada da serrapilheira poderia comprometer fatalmente o bioma da floresta; sabemos que o solo daquela floresta é predominantemente arenoso; desta forma, é fácil de se imaginar o qual a importância da cobertura composta do solo para a floresta tropical.
=================================
PARABÉNS pelo blog, vou segui-lo!


gravatar

CANTO EN FLOR

abril 26th, 2009 às 22:05

Estoy segura que si la naturaleza requiriera limpieza, ella sóla lo haría, no crees? De hecho es así…
Por qué nos empeñamos entonces en limpiarla hasta de lo que es necesario para ella?
Muy buena información,
Feliz Semana con tus alumnos, maestra Dani!


gravatar

Mimirabolante

abril 28th, 2009 às 13:54

Dani….eu coloquei o selo…….vc não viu?será que fiz alguma coisa errada?


gravatar

Patrícia

março 8th, 2010 às 11:06

belo trabalho esse… vai me ajudar na minha monografia… de forma clara vc conseguiu expor um problema que muitos não conhecem e por esse motivo, não dão a menor importância


gravatar

Jonathan Ulisses

maio 31st, 2010 às 16:52

Muito legal tudo isso

me ajudou bastante pois faço agroecologia
e na materia de agrobiodiversidade estamos estudando a importancia da serrapilheira

Parabens


gravatar

Marilene Martins

novembro 16th, 2010 às 15:19

O seu blog finalmente esclarece para mim o que é “ngaura” uma questão mirabolante do Enem 2010. Responda-me uma coisa, Dani: pode-se afirmar que a serralheira é carbono ou nitrogênio?
Restou esta dúvida!

Parabéns pelo seu trabalho!

Marilene Martins


gravatar

Daniela Lima

novembro 17th, 2010 às 23:51

Marilene,

Podemos dizer que os “dois” o nitrogênio é um elemento que entra na constituição de duas moléculas orgânicas extremamente importantes: as proteínas e os ácidos nucléicos, são poucos organismos que conseguem sintetizá-los, mesmo ele estando em grande quantidade no ar, estes são algumas bactérias e cianofícias.
O nitrogênio proveniente das células dos seres vivos é decomposto no solo ou nos rios passando de orgânico a inorgânico, sob a ação das bactérias decompositoras presentes nos solos com serrapilheiras ou através do sistema de excreção dos próprios seres superiores.
E o carbono é presente nos seres vivos!!
Espero ter ajudado!


gravatar

Marilene Martins

novembro 18th, 2010 às 14:33

Dani, muito obrigada por ter respondido. Será pedir muito que leia a questão do Enem, cujas opções estão abaixo?

HABILIDADE – 09
O texto “O voo das Folhas” traz uma visão dois índios
Ticunas para um fenômeno usualmente observado na natureza.
O voo das Folhas
Com o vento
as folhas se movimentam.
E quando caem no chão
ficam paradas em silêncio.
Assim se forma o ngaura. O ngaura cobre o chão da floresta, enriquece a terra e alimenta as árvores.
As folhas velhas morrem para ajudar o crescimento das folhas novas.
Dentro do ngaura, vivem aranhas, formigas, escorpiões,
centopeias, minhocas, cogumelos e vários tipos de outros
serem muito pequenos.
As folhas também caem nos lagos, nos igarapés e igapós.
A natureza segundo os Ticunas/Livro das Árvores.
Organização Geral dos Professores Bilíngues Ticunas, 2000.

Na visão dos índios Ticunas, a descrição sobre o ngaura permite classificá-lo como um produto diretamente relacionado ao ciclo
(A) da água.
(B) do oxigênio.
(C) do fósforo.
(D) do carbono.
(E) do nitrogênio.

Marquei, depois de muito pensar e ficar em dúvida entre o carbono e o nitrogênio, a letra E. No gabarito oficial, afirma-se a letra D.

Questão passível de ser anulada?

Obrigada mais uma vez e acredite que você está esclarecendo a dúvida de aproximadamente 4,6 milhões de candidatos.

Um abraço e parabéns pelo seu blog!


gravatar

Giuliene Freitas

fevereiro 17th, 2012 às 23:28

Gostei muito do Blog, é muito interessante e bem explicado, curti de verdade!! Um Abraço.


gravatar

Marcio Mendes da Silva

julho 24th, 2012 às 11:10

Gostei the minha foto em cima do cavalo.Quanto ao artigo, muito esclarecedor, principalmente o the serrapilheira.


Deixe um comentário



Prêmio Recebido
Vote no 2º Turno
Seja Fã do Blog